Total de visualizações de página

quarta-feira, 28 de março de 2012

ODORES DO CORPO - AFRODISÍACOS NATURAIS










Pintura acrílica de Romeo Zanchett








ODORES DO CORPO - AFRODISÍACOS NATURAIS








Na hora de escolher um parceiro ainda somos guiados pela biologia e por preferências estabelecidas pela espécie há milhões de anos. A ciência não para de trazer à tona indícios de que o comportamento sexual humano, tal como se conhece hoje, segue fundamentalmente os mesmos mecanismos psicológicos ancestrais. Nem mesmo a revolução sexual feminina, que garantiu-lhes novos direitos de igualdade, alterou significativamente as velhas táticas de sedução e os sinais de atração. Os diversos odores que se volatilizam dos órgãos do corpo humano constituem fontes de atração sexual. Portanto, os odores assumem importante papel erótico na vida sexual humana.








Entre os animais a identificação do macho pela fêmea, e da fêmea pelo macho, faz-se através do cheiro das partes genitais. Isso ocorre durante a época do cio.








O aroma agreste vindo dos cabelos sedosos, um hálito fresco e um sexo sadio pode acionar o mecanismo do desejo. A excitação nas mulheres vem através de sinais muito sutis emitidos pelo homem e o primeiro deles é, sem dúvida, o cheiro. Os cabelos são poderosos afrodisíacos, com a função de reter, absorver e emitir os odores do corpo.








A proliferação de odores na indústria dos perfumes nasceu, em parte, da necessidade de proporcionar meios artificiais de realçar a beleza olfativa do sexo.




O perfume sexual ocupa um destacado lugar no despertar do desejo. É muito natural que um jovem, mesmo inconscientemente, se apaixone pelo perfume corporal de sua namorada.








A mulher é muito mais sensível aos odores do que o homem. Os estudiosos acreditam que as mulheres dos povos primitivos usavam perfumes não para mascarar os odores naturais do corpo, mas sim para realçá-los ainda mais. Dessa forma atraiam os melhores machos da tribo para acasalar. Já os homens primitivos tendiam a se alhear das moças que não cheirassem fortemente a êsses odores naturais.








A mulher moderna sempre preferiu odores fortes, quase animais. Até recentemente os perfumes eram preparados a partir de substãncias muito odoríferas, como âmbar cinzento, almíscar, castóreo e outros. Todos esses odores estão intimamente associados com as glândulas sexuais de diversos animais mamíferos.








Foi somente no século XVI que a mulher começou a adotar normas de higiene corporal. Até então as damas e senhoras admitiam em público que jamais lavavam seus órgãos genitais, prática que então se considerava indecente, digna apenas das prostitutas.








No caso das mulheres são os odores que caracterizam as várias fases da vida. Assim, há os odores da puberdade, os odores da mulher casada, os odores da menopausa. Sabe-se também que o perfume corporal das mulheres virgens prestes a casar é extremamente agradável ao homem.








O perfume menstrual apresenta certas características muito próprias da mulher. Apesar da higiene íntima, o odor persiste porque se acha também presente no suor da transpiração.




Os pesquisadores constataram que na maioria das pessoas que se acham eroticamente estimuladas entre si os perfumes sexuais dos respectivos genitais são atraentes para o sexo oposto. Esses odores aumentam pouco antes do coito, durante o coito e quando termina.
Muitas mulheres, com alta sensibilidade, conseguem reconhecer o estado de espirito de seu parceiro pelo odor de sua pele. Maridos de bom humor exalam odores adocicados. É pouco comentado, mas muitas mulheres já pediram o divórcio por não suportarem os odores do marido. Também as mulheres não conseguem fugir do próprio odor. As mal humoradas, azedas, exalam cheiros acres e por essa razão acabam repelindo os homens. Talvez seja por isso que certas mulheres lindíssimas não conseguem um parceiro e muitas até morrem virgens.




Não se sabe bem a causa, mas nos ambientes onde existem somente mulheres ou somente homens, os seus odores se intensificam.




As prostitutas profissionais costumam exalar um forte cheiro acre nauseante. Afrma-se que esse cheiro é a soma dos odores de todos os homens com quem elas copularam recentemente.




Os homens apaixonados apreciam os cheiros da mulher amada, principalmente os do sexo e das axilas. É por essa razão que se sentem atraidos à prática do sexo oral. Portanto, se seu homem lhe disser que está apaixonado, mas se negar a lhe dar o prazer do sexo oral, com certeza está mentindo. Entretanto, cabe à mulher o cuidado higiênico e a moderação com os perfumes que devem combinar com os seus odores corporais. A mulher jamais deve substituir totalmente ou radicalmente seus odores anatômicos por perfumes artificiais. O homem, mesmo inconscientemente, deseja eroticamente reconhecer entre os odores da amada os que lhe são naturais.




Os estudiosos afirmam que os homossexuais costumam gostar do cheiro corporal de soldados, marinheiros e atletas por serem muito intensos. Essa intensidade se deve ao fato de que muitas vezes eles vivem confinados.




As antigas mulheres egípcias perfumavam com essências as axilas, a boca, os cabelos e os órgãos genitais.




Em Roma, os amantes, antes de iniciar o amor sexual, lavavam-se em água perfumada. Depois aplicavam-se mutuamente ungüentos perfumados e azeites, passando-os em todo ocorpo. Costumavam, inclusive, interromper as caricias sensuais a fim de reaplicar perfumes e essências.




Existem pessoas que usam perfumes para se autoexitarem.




Na França do século XVI, as mulheres perfumavam os órgãos genitais e os pelos pubianos.




Conta-se que Napoleão Bonaparte gastava de 60 a 70 garrafas de água-de-colônia por mes.




É importante saber que as substãncias quimicamente alcalinas acentuam os odores sexuais, que são atenuados por substãncias ácidas. A cânfora e as amêndoas amargas neutralizam os odores.




Se você está procurando um perfume afrodisíaco lembre-se que seu corpo já o produz na quantidade que você precisa para atrair a pessoa desejada.


Nicéas Romeo Zanchett






Nenhum comentário:

Postar um comentário