Total de visualizações de página

domingo, 13 de abril de 2014

ENTRE O DESEJO E A ABSTINÊNCIA SEXUAL



ENTRE O DESEJO E A ABSTINÊNCIA SEXUAL 
Por Nicéas Romeo Zanchett 
                    Ainda hoje persiste o conceito, de origem religiosa, de que a abstinência sexual é mais penosa para o homem que à mulher. 

                     Em 1559, Santa Teresa admitia o êxtase pela fruição do corpo, mas um prazer transfigurado, místico e não genital. Além disso, por razões de ordem médica - contracepção, pós-operatório, doenças venéreas e a própria gravidez - criou-se ao longo do tempo uma ideia absolutamente infundada de que a mulher podia abrir mão de sua vida sexual sem problemas. Mas o código sócio-sexual que determina esse tipo de norma é extremamente machista; a carência sexual, assim como a afetiva, é um mal que atinge a ambos os sexos. Uma mulher saudável tem a mesma necessidade de fazer amor que a sentida por um homem na mesma condição. 
                    

                  Em sua juventude, Santo Agostinho, foi um severo crítico do Cristianismo. Mas sua conversão o levou a transformar-se num dos maiores teólogos de todos os tempos. 
                  Nasceu no século V. Com 16 anos, iniciou seus estudos de jurisprudência e retórica, em Cartago. Os costumes daquela época eram bastante licenciosos; principalmente entre os estudantes de Cartago. Aos 18 anos, ele tinha uma amante e já era pai de um menino. Até os 20 anos de idade, Agostinho viveu em Cartago lecionando Retórica, quando se transferiu para Roma, levando a mãe, a amante e o filho. Mais tarde, estabeleceu-se em Milão, onde passou a interessar-se pelo Cristianismo que antes criticava. Sua mãe, Mônica, cedo convertida ao cristianismo, rezava pela conversão do filho e pedia-lhe que abandonasse a amante e se casasse com outra moça. Finalmente a amante foi enviada de volta à África e seu filho permaneceu em Milão. A saudade da amante expulsa o atormentava menos do que levar uma vida ascética. "Deus, dá-me a castidade, mas não neste momento", era a sua oração cotidiana, pois arranjara uma nova amante, embora se atormentasse em auto críticas. 

                    Seu conflito íntimo culminou numa crise de nervos. Chorando, ele se jogou ao chão. Exclamava: "Quanto tempo ainda? Amanhã de novo... Amanhã de novo...!" Nesse momento viu uma criança no jardim vizinho brincando com uma bola e cantando: "Tome e leia. Tome e leia."  Agostinho interpretou o acontecimento como um sinal do céu. Aceitou o batismo e mandou batizar  o filho. 
                    Aos trinta e sete anos de idade, recebeu em Hippo Regius - hoje o porto de Bone, Argélia - as primeiras ordens canônicas. Quatro anos depois, ganhou o titulo de sacerdote. 
                    Bispo, teólogo e um dos mais importantes pais da Igreja Cristã. Os pensamentos e escritos de Agostinho, mais tarde canonizado, influenciaram decisivamente o Cristianismo e a filosofia do Ocidente. Dotado de vivo pensamento crítico, sempre guiado unicamente pela razão, Santo Agostinho aceitava a história da criação do mundo narrada no Velho Testamento, mas encarava como uma simples "descrição simbólica" e não como um relatório de fatos reais. Segundo ele, o Pecado original de Eva era a prova de que Deus previra o matrimônio casto, sem luxúria. Dizia que a desobediência de Eva legou ao mundo o desejo sexual sem limites e destruiu a forma inicialmente pura da procriação. Segundo dizia, Deus redimiu o homem do "Pecado Original" enviando um novo Adão, seu filho Cristo e pelo batismo o homem passou a alcançar a absolvição do Pecado Original. Entretanto Santo Agostinho afirmava que o instinto sexual ainda é uma falha da natureza humana. Ele considerava moralmente aceitáveis  as relações sexuais no casamento quando servem à procriação. Considerava a volúpia como pecaminosa, mas admissível. Mais tarde a Igreja afastou-se dessa concepção agostiniana. São Tomás de Aquino (1225 x 1274) afirmou que a volúpia não era contra a natureza e sim um dom de Deus, que só é permitido no estado matrimonial e unicamente a serviço da procriação. 
                   Esses fatos com Santo Agostinho se passaram a mais de 1500 anos. Mesmo depois de tanto tempo a Igreja continua insistindo em manter tradições que só servem para criar sofrimento aos seus próprios seguidores. 
                   Há um grande mistério no seio do Cristianismo: quando tomado em estado puro, incompatibiliza o homem com o mundo profano e "pecador". Jesus Cristo, que muito depois de sua morte deu nome ao Cristianismo, na verdade, foi o mais incompatível homem com o mundo cristão. O Cristo de Nazareno era um homem simples e muito pobre que pregava o bem e o amor a todos, mas a Igreja que herdou seu nome acabou milionária e poderosa. Na Idade Média chegou a ser a maior e quase única potência mundial, nomeando reis, depondo monarcas, marchando à frente de imbatíveis exércitos, confiscava bens e saqueava cidades inteiras. Continua sendo a hierarquia romana e a maior potência financeira e política do mundo. Ela está em praticamente todas as cidades, grandes e pequenas do globo. Tirar da forja divina do Evangelho o ferro candente da alma cristã e fazê-la arrefecer ao contato com o mundo real é tarefa muito difícil. 
                    O instinto sexual tem como objetivo central a procriação.  Ele é comando pelos hormônios sexuais e são tão poderosos que não se pode resistir às suas determinações. 
                     Criou-se a ideia de que ser religioso é ser assexuado, mas isto não é verdade. Muitos crentes se negam a ver que tanto os padres como as freiras e outros religiosos de nível mais elevado, são pessoas comuns e com os mesmos instintos e desejos sexuais que todos sentimos.
                      Recentemente foi descoberto um papiro que prova que Jesus tinha uma esposa. Em 10/04/2014 o Jornal G1 da Globo publicou uma matéria sobre este assunto onde diz que já está provada sua legitimidade.  
                      Tudo é energia. O corpo de todos os seres é feito de matéria existente neste planeta, mas é regido pela energia cósmica que recebe do sol. Sem a energia solar não há vida, portanto o sol é o deus da vida.

                      As palavras do homem cósmico pouco valem pelo que dizem, mas muito pelo que silenciam. Todos sentimos a presença da energia cósmica em nossos corpos, que neste planeta é emanada do sol,  e suas reticências fazem suspeitar muito mais do que a sua eloquência. O panorama que descortinam é universal. As pessoas sabem ou sentem que, para além da extrema linha do horizonte, se alargam mundos e universos incomparavelmente maiores, mais complexos e belos. Portanto, o homem cósmico empolga e fascina muito mais pelas invisíveis perspectivas que insinua do que pelos visíveis panoramas que descortina. É natural que esteja sempre insatisfeito consigo mesmo e isto geralmente acontece porque não consegue transformar em palavras entendíveis aquilo que sabe e sente em seu interior. Suas conexões cerebrais com a energia universal ficam guardadas no seu mundo pessoal. Seus magros triunfos e seus pobres escritos na maioria das vezes passam despercebidos e a humanidade cega continua sua crença milenar nos imaginários deuses que lhe foram incutidos na mente pelas religiões. A religião e a política são as duas formas mais utilizadas para dominar o intelecto do homem. 
                    O homem genial estaria mentido para si mesmo se alardeasse sapiência, pois a confissão da ignorância é a porta aberta para a sabedoria.  Só pode celebrar a plenitude da sapiência quem ignora a vacuidade da própria insipiência. 
Nicéas Romeo Zanchett 
.
                            
                    

ATRAÇÃO SEXUAL E SELEÇÃO NATURAL HUMANA


ATRAÇÃO SEXUAL E SELEÇÃO NATURAL HUMANA 
Por Nicéas Romeo Zanchett 
                    O sexo sempre dominou a cabeça das pessoas. É responsável pela nossa evolução de forma mais rápida que outros animais. A beleza física da mulher, sua coragem para recusar parceiros fracos, debilitados ou doentes, garantiu descendentes saudáveis e inteligentes que permitiram a aceleração evolutiva da espécie. A força física do homem da caverna era um atributo indispensável. Era grande caçador e defensor da família e por isso o preferido das mulheres.  Eles garantiam alimento e sua sobrevivência. A principal meta era engravidar o maior número possível de parceiras belas e saudáveis que pudessem aumentar a espécie humana. 

                     Milhões de anos se passaram, os tempos são outros, mas o comportamento sexual humano traz em suas raízes os mesmos mecanismos psicológicos ancestrais. A herança evolutiva explica porque  sexo, dinheiro e poder continuam intimamente ligados. Mesmo após a conquista de direitos e liberdade sexual das mulheres, seus sonhos ainda se norteiam significativamente pelas velhas táticas. 
                    Muitas mulheres ainda preferem os homens fortes, altos e bonitões, mas estes atributos são facilmente substituídos por uma bela conta bancária que, para muitas, é prova de inteligência, sucesso e poder.  Oque se pode observar é que para elas o macho preferido é aquele que sabe usar a inteligência para ganhar dinheiro e galgar status na sociedade consumista em que vivemos. Mas a escolha de machos que preencham estes requisitos cria dificuldades para as mulheres; é que no mundo moderno a escassez de machos dentro dos quesitos ideais tornou a competitividade feminina uma árdua tarefa. Muitas mulheres tendem a ver suas amigas como inimigas concorrentes. 

                    A mulher moderna já não depende de um defensor e provedor da prole e tende a se preocupar, principalmente, com seu status e bem estar pessoal. Estas querem ter um filho, mais para a auto-realização de "ser mãe", que é um dos itens herdados dos ancestrais, do que para evolução das espécie.  Além disso muitas até ganham mais que os próprios maridos e só dependem dele para conseguir o sêmen que elas próprias escolhem. Já vemos mulheres selecionando as características como, altura, cor dos olhos, da pele, dos cabelos e naturalmente da inteligência que querem para seu filho. Isto pode parecer um absurdo, mas não é. Trata-se de uma nova forma para a evolução da espécie humana que somente as mulheres são capazes de garantir. A fertilização in vitro já é a forma escolhida por muitas. Mas, às vezes, é um tiro no escuro, pois existe muita falta de ética nesse meio e isto pode levar a erros irreparáveis. O ideal é que a mulher moderna conheça pessoalmente o futuro pai de seu filho; pode ser um amigo íntimo, um colega de trabalho, alguém que também deseja ser pai, mas não quer arcar com os compromissos de um casamento tradicional e aí por diante. Coisas do mundo moderno.

                     Olhando para essa nova forma de evolução da espécie humana, nas classes mais elevadas, podemos concluir que trará benefícios. Com elas está o poder de mudar completamente a situação planetária de superpopulação e fome.  Mas quando olhamos para as classes ditas "inferiores" é um desastre. Muitas mulheres chegam a ter diversos e até dezenas de filhos e nem sabem quem é o pai de cada um. Aí está o problema central da superpopulação mundial. E o pior é que esta classe cresce de forma assustadora e sem que essas mulheres saibam controlar o número, o caráter e a qualidade dos filhos que estão gerando, geralmente indesejáveis e com problemas psicológicos. A desproporção é geometricamente apavorante.

 Os governos e religiões, em vez de orientar a formação familiar ordenada, só pensam nos ganhos políticos e financeiros que poderão ter com essa leva de pessoas que formarão um mundo de analfabetos e famintos. Não se trata de controlar a natalidade, mas de orientar, dar educação sexual de qualidade, sem usar metáforas e palavras enganosas. Aqui cabe lembrar que a mulher é mais vulnerável à conquista quando está em período fértil. Também os homens, mesmo sem saber, se sentem mais atraídos pelas mulheres nesses períodos. Daí a quantidade de gravidez indesejáveis que muitas vezes acabam em aborto. Educar é o único caminho. 


                    As mulheres solteiras e descompromissadas, gostam muito de falar sobre a anatomia íntima de seus parceiros. Essa troca de informação, muitas vezes propositalmente enganosa, é uma forma inconsciente de informar às outras quais os parceiros que valem a pena e quais devem ser evitados. Já as casadas não costumam elogiar os maridos para não instigar a concorrência. 
                    É muito natural que a força do passado primitivo ainda se imponha, pois a trajetória evolutiva da nossa espécie viveu muito tempo na era ancestral, dominados pelo instinto, e pouquíssimo tempo, talvez 1%, na era moderna do racionalismo. 
                     A estratégia feminina de impor resistência, fingida ou não, continua sendo transmitida de mãe para filha. Fazer-se de difícil para fisgar um bom partido é a ordem que continua prevalecendo. Muitas se entregam por uma simples "cesta básica", mas as mais cobiçadas requerem jantares especiais, flores, jóias, etc. 

                      O homem bem sucedido, poderoso, endinheirado gosta de ser visto rodeado por jovens bonitas e saudáveis. Mas não se enganem, é apenas um palco de encenação para despertar a inveja dos amigos; gosta de mostrar que é garanhão incorrigível, mas está está ali apenas como ator de uma cena das "mil e uma noites".   Da mesma forma, as mulheres gostam de estarem bonitas para serem vistas e invejadas pelas amigas; os homens são um componente à parte. Em ambos os casos não há porque censurar, é apenas mais uma forma da evolução da espécie. 

Nicéas Romeo Zanchett 
LEIA TAMBÉM >> SUPERPOPULAÇÃO MUNDIAL


domingo, 16 de março de 2014

A GUERRA DOS CROMOSSOMOS

A GUERRA DOS CROMOSSOMOS
 Por Nicéas Romeo Zanchett 



                    Somos escravos da biologia? - Até certo ponto sim, mas a forma de vida que levamos também interfere profundamente tanto na nossa vida como na dos nossos descendentes.
                     Nas monótonas linhas das sequências de milhões de bases que compõem o cromossomo X estão informações que poderão explicar algumas das diferenças entre homens e mulheres e, mesmo parte da genética que criou e faz cada pessoa ser única em todo o mundo. Mas isso não é tudo; o meio ambiente - incluindo a cultura, a educação e o próprio ambiente uterino - tem enorme peso na formação de cada ser. A vida levada pela mãe grávida tem profunda influência na formação do feto. Portanto, não somos escravos exclusivos da biologia. 
                      O genoma humano é o código químico com todas as instruções necessárias para formar um ser humano. Ele é feito de DNA (ácido desoxirribonucleico), uma longa molécula composta por uma cadeia de fosfato e açucar em forma de dupla hélice. O código utiliza quatro letras -ATCG - que correspondem aos componentes químicos - as bases-. 
                      São as sequências funcionais do DNA (que determina a produção de proteínas necessárias à formação de cada parte do corpo humano). Eles são como receitas para proteínas. Somente 3% do DNA humano é composto por genes. As bases são: Adenina (A), timina (T), citosina (C) e guanina (G). A adenina sempre se liga à timina e a citosina à guanina. O DNA varia cerca de 0,1% de uma pessoa para outra. A exceção são os gêmeos idênticos ou univitelinos.  
                      Os cromossomos humanos são pacotes de DNA. O homem tem 46 cromossomos (são 22 pares de os cromossomos sexuais X e Y).  Todas as cem trilhões de células humanas contém um conjunto completo de cromossomos. As exceções são as células sexuais, que só têm a metade, e as hemácias, que não tem nenhuma. 
                      O mundo moderno tem nos trazido uma grande quantidade de medicamentos - incluindo aí os hormônios sintéticos e outras drogas como cigarro, por exemplo - que podem alterar profundamente o desenvolvimento do bebê no útero da mãe; e não é apenas aqueles que são consumidos durante a gestação, mas também os anteriores que já fazem parte do organismo dos pais. Como consequência, parece estar surgindo uma nova espécie humana, onde homens e mulheres estão cada vez mais parecidos; há um evidente desequilíbrio hormonal que está se mostrando de forma significativa nas novas gerações. 
                       A ciência tem descoberto muito a respeito do arcabouço de DNA sobre o qual nosso organismo é construído. Mas ainda não se pode ter uma visão determinista do papel do DNA na natureza humana. Entretanto, hoje já se pode ter muitas informações sobre doenças no estudo do genoma. 

                        O "X" e o "Y" já disputavam o poder há 300 milhões de anos, portanto, muitas eras antes do primeiro ancestral da humanidade caminhar sobre a Terra. Essa disputa continua a causar impacto na vida de cada homem ou mulher do planeta. A disputa acontece em nosso código genético, na parte mais íntima do nosso corpo. Ela é incessante e está acontecendo em seu interior neste momento em que você lê este artigo. É uma verdadeira batalha ente os cromossomos sexuais "X" (feminino) e "Y" (masculino) . Trata-se de uma silenciosa competição entre os genes que cada um de nós herdou do pai e da mãe. Seu resultado influencia nossa sexualidade, nossa saúde e nossa evolução como espécie. 
                      Enquanto os homens têm um cromossomo X e outro Y, as mulheres têm um par de X. Um recente estudo revelou que o X de homens e mulheres é muito diferente. Portanto, não existe um genoma humano, mas, sim, um genoma do homem e outro da mulher. O estudo revelou que o cromossomo sexual masculino Y, apos milhões de anos de competição, perdeu tamanho e complexidade, mas preservou um gene especial do sexo masculino, o SRY, responsável pela indução do desenvolvimento dos testículos. 
                       Na verdade, temos dois genomas: um herdado do pai e outro da mãe que não gostam um do outro e vivem em permanente competição. Muitas vezes os interesses dos genes maternos são conflitantes com os paternos. Isso tem um enorme impacto em nossa vida.

                       O estudo do cromossomo X evidenciou a complexidade das combinações genéticas e ajudou a explicar porque o homem é mais vulnerável ás doenças. Enquanto as mulheres possuem duas cópias do X, nos homens o par de cromossomos é composto por um X e um Y. Isso faz com que os homens sejam mais vulneráveis a doenças associadas a falhas no X. Como as mulheres tem dois X, podem compensar os defeitos. Outro fator determinante é que o cromossomo X é muito mais complexo do que o atrofiado Y. Enquanto o X tem 1.098 genes, o Y tem menos de 100.
                       Entre as doenças associadas a falhas no X se manifestam em forma de retardo mental, hemofilia, distrofia muscular de Duchenne, autismo, dislexia, além de problemas como daltonismo, lábio leporino, hiperatividade e disfunção de linguagem.  Alguns distúrbios são exclusivamente masculinos, como o daltonismo e a hemofilia. As mulheres podem passar para seus filhos a falha genética associada a esses problemas, mas estão protegidas e não desenvolvem esses distúrbios. 
                       A genética feminina é muito mais complexa do que se imaginava. Genes que se supunham inativos, na verdade, estão bem atuantes. São eles que fundamentam as diferenças entre homens e mulheres. Além disso contribuem para evidenciar as diferenças que existem entre as próprias mulheres. Alguns genes do X estão muito ativos em certas mulheres, em outras podem estar permanentemente adormecidos. Os cientistas ainda estão estudando para que servem esses genes, como funcionam e quais os resultados de suas muitas combinações. O que já se tem certeza é de que a complexidade genética da mulher é muito maior do que se poderia prever. 


Doenças Associadas ao Cromossomo X

CÉREBRO
Retardo mental, Síndrome de Rett, Síndrome de Asperger, Autismo. Epilepsia. 

OUVIDO 
Surdez. 

RIM 
Hemoglobinuria.

NERVOS
Síndrome Charcot-Marie, Epilepsia. 

OLHOS
Daltonismo, Cegueira noturna, Retinite Pigmentosa, Distrofia ocular, Retinose juvenil, Albinismo ocular. 

FACE
Displasia facial, Síndrome cranio frontonasal, Lábio leporino. 

CORAÇÃO
Cardiomiopatia.

PELE 
Displasia ectodermal, Disqueratose congênita, Albinismo, Ictiose. 

METABOLISMO
Obesidade, Diabetes. 

SANGUE
Hemofilia e anemia. 

MÚSCULOS 
Distrofia muscular, Cinese fosforilase.
  
REPRODUÇÃO
Falha ovariana prematura, Disgênese ovariana, Síndrome do homem infértil. 

SISTEMA IMUNOLÓGICO
Imunodeficiência, Agamaglobulinemia, Imunoproliferação, Leucemia, Imunodesregulação, 
Hiper IgM. 

METABOLISMO CELULAR 
Síndrome de Hunter, Síndrome de Lesh-Nyhan. Hiperglicerolemia, 
Doença do acúmulo de glicogênio, Deficiência de creatina. 

ARTICULAÇÕES
Gota. 

Pesquisado em sérias publicações científicas. 
Nicéas Romeo Zanchett 

domingo, 9 de março de 2014

QUANDO NÃO HÁ MAIS DESEJO - Por Nicéas



QUANDO NÃO HÁ MAIS DESEJO
Por Nicéas Romeo Zanchett 
                    A qualidade de vida das pessoas pode ser medida pela atividade sexual. Mas, mesmo assim, são inúmeros as que tem rotina de vida normal e só conhecem ou experimentam as delícias do amor sexual nas telas de TV e cinema. 
                     Teoricamente não é possível alguém não gostar de sexo, pois se trata do maior prazer físico que o ser humano pode experimentar. Entretanto, algumas pessoas passam a vida toda sem sentir o menor desejo sexual.  Muitas, que já tiveram vida sexual ativa, hoje engrossam as fileiras dos "sem sexo". Os obstáculos são muitos, mas a maioria, que tem parceiro fixo e não sente desejo, alega que é falta de prazer durante a relação. 
                     As pesquisas indicam que os que mais admitem problemas são as mulheres jovens e os homens mais velhos. Elas geralmente tem de enfrentar a ansiedade decorrente da pouca experiência. A tensão pode levar dor à relação sexual. Forma-se então um círculo vicioso. O sexo não prazeroso acaba em inapetência. Já os senhores entre 50 e 70 anos vivem uma angustia três vezes maior que os rapazes de 18 a 30 anos, resultante da dificuldade de conseguir e manter uma ereção. Os rapazes tem dificuldade pela inexperiência e os senhores pelo medo da impotência. Mesmo depois que surgiram as pílulas milagrosas para ereção, poucos podem usá-las com segurança. Com o passar dos anos e chegada de doenças típicas da velhice, aliadas a hábitos pouco saudáveis, - uso indiscriminado de medicamentos, tabaco, bebida alcoólica, má alimentação e vida sedentária-, fazem o vigor físico diminuir. A culpa também pode recair no stress, traumas com experiências sexuais mal sucedidas do passado, doenças sexualmente transmissíveis "DST", ejaculação precoce, orgasmos inatingíveis, ansiedade na hora do sexo, etc. Na verdade essas pessoas não rejeitam o ato sexual em si, mas tem problemas e dificuldades de excitação e daí, aos poucos, vão se habituando a uma vida sem sexo e o desejo desaparece. 
                   Por outro lado, o homem ou a mulher que está sozinho, em nossos dias, com  tantas doenças sexuais rondando por aí, sentem medo da contaminação e descartam as oportunidades que encontram. 

                    O sexo bom e prazeroso não acontece quando vem acompanhado de medos. O homem de nosso tempo aprendeu gostar de sexo oral, mas esta modalidade é uma das mais difíceis de ser praticada pelas dificuldades de proteger-se. A camisinha pode proteger o pênis, mas a boca também é uma entrada de bactérias que podem ser perigosas. Portanto é preciso que haja confiança absoluta entre os parceiros para certas praticas sexuais. E aí o sexo vai se tornando cada dia mais escasso até cessar definitivamente. 
                      Para praticar um bom sexo é preciso, acima de tudo ter boa saúde. Quando a circulação sanguínea está dificultada por algum problema de saúde o sangue não circula direito, tanto para irrigar o cérebro como para tornar possível uma ereção. 
.
Nicéas Romeo Zanchett 

BEIJOS E MORDIDELAS - Por Nicéas


Esculturas de  Romeo Zanchett 

BEIJOS E MORDIDELAS 
Por Nicéas Romeo Zanchett 
                  O Kama Sutra lista trinta tipos de beijos e mordidinhas eróticas. 

BEIJO DE LADO
É quando as cabeças das duas pessoas se inclinam de lado. É uma das formas mais comuns de se beijar. Com as cabeças inclinadas há maior facilidade de contato dos lábios e melhor penetração de língua. 

BEIJO INCLINADO 
É quando um dos parceiros coloca a cabeça para trás e a outra pessoa a beija segurando-a pelo queixo. É um beijo que transmite doçura e afeto. Muito utilizado nas preliminares. 

BEIJO DIRETO 
Quando os lábios dos dois se unem diretamente e se chupam. É um tipo de beijo que, além de serem chupados, os lábios são mordiscados e acariciados levemente com a língua e podem fazer parte das preliminares com grande sucesso. É um beijo que pode ser demorado e excitar os amantes até mais que os beijos de língua. 

BEIJO DE PRESSÃO
Os lábios são pressionados fortemente com a boca fechada. É muito usado para iniciar uma relação. 

BEIJO SUPERIOR

É quando um dos parceiros pega o lábio superior
do outro com seus dentes e este lhe devolve o carinho beijando-lhe o lábio. Segundo o Kama Sutra, uma das pessoas deve tomar a iniciativa e a outra limitar-se a corresponder às carícias. Mas é preciso considerar que ele foi escrito exclusivamente para os homens e numa época que se exigia a passividade das parceiras. Em nossos dias os casais tem mais liberdade e podem deixar a imaginação guiar seus passos, não se limitando apenas a responder à iniciativa do outro. 

BEIJO BROCHE
Quando um dos parceiros se prende aos lábios do amante. Se o beijo tocar os dentes, a gengiva ou o céu da boca com a língua, então chama-se "luta de língua". 

BEIJO PALPITANTE 
Quando um dos parceiros deposita muitos beijinhos por toda a boca da parceira.

BEIJO CONTATO 
Quando se toca ligeiramente com a língua a boca do outro e faz apenas contato com os lábios.
BEIJO PARA ACENDER A CHAMA 
É o beijo na junção dos lábios e, segundo o Kama Sutra, deve ser dado no meio da noite para incendiar a paixão entre os amantes. Mas esta modalidade pode ser utilizada a qualquer hora; entretanto, para maior prazer é melhor que seja em local privado. 

BEIJO PARA DISTRAIR 
É o beijo ideal para todos os momentos. Não se trata de um beijo na boca e sim apenas demonstrar carinho e chamar a atenção do parceiro. Segundo o Kama Sutra, pode ser dado na testa, nos olhos, nas bochechas, na nuca, no peito, nos seios, no pescoço, nas mãos, etc. 

BEIJO NORMAL 
Quando o parceiro, depois de beijá-la, toca sua boca com os dedos. 

BEIJO COM OS CÍLIOS 
Quando se percorre os lábios ou o rosto e se acaricia os cílios com beijos rápidos.

BEIJO COM UM DEDO 


Quando o amante percorre a boca da amada por dentro e por fora fazendo uma leve pressão com um ou dois dedos ligeiramente molhados em sua boca. 

BEIJO QUE DESPERTA 

O beijo que se dá nas têmporas, próximo da raiz do cabelo, para despertar com suavidade a parceira que está dormindo. 

BEIJO QUE DEMONSTRA 
Costumam ser dados à noite e em lugares públicos. Um dos dois se aproxima do outro e o beija suavemente na na mão ou no pescoço. 

BEIJO DA LEMBRANÇA 
É dado quando os amantes estão descansando após a satisfação sexual. Um dos dois coloca a cabeça sobre a coxa do outro e deixa-a cair, como se estivesse com sono, beijando-la na coxa ou nos dedos do pé.

BEIJO TRANSFERIDO 
É quando, na presença da amada, o amante beija no rosto de alguém que esteja próximo dele. Deve ser dado olhando para sua parceira como se o beijo fosse para ela. Pode ser usada uma foto ou outra coisa qualquer.

BEIJO CHOROSO 
Quando sentira falta do parceiro que está ausente e a saudade apertar, beijo o seu retrato.

BEIJO VIAJANTE
É o beijo dado em qualquer parte do corpo da parceira. É uma forma de excitação e convite para o amor.

BEIJO NO PEITO 

Os beijos mais afetivos nos seios são os que se aplicam primeiro com os lábios, suavemente e com um pouco de saliva. Depois intensifica-se a pressão e, se perceber que a parceira o deseja e gosta pode pegar os seios com os dentes e pressionar ligeiramente. Algumas gostam de sentir um pouco de dor nos seios quando estão prestes a ter orgasmo. 

BEIJO SEM PRESSA
O segredo é ficar atento aos sinais da parceira. Quanto mais controle você tiver e mais se concentrar em acariciar e beijar cada centímetro do corpo de sua parceira, mais intensa será a sensação de prazer para ambos. 

BEIJO DOCE 
O ponto alto é a suavidade dos lábios e a ternura dos movimentos que são a principal estratégia. As carícias na face e na nuca também são extremamente importantes. 

O BEIJO DERRETEDOR
É um beijo suave, parecendo uma mordida lenta nos lábios. As mãos acariciam a nuca e depois a língua vai das uma volta na área das orelhas. Este tipo de beijo exige um clima romântico. É adequado para momentos cheios de ternura e magia. Preste atenção aos sinais da pessoa que estiver beijando para não ultrapassar os limites que ela permite.

BEIJO APAIXONADO

 São adequados para momentos mais quentes da relação. Começam por selinhos carinhosos e aos poucos o clima vai esquentando. Na sequência vem os beijos de língua que fatalmente poderão levá-los a outras coisas...  
É importante que se observe o lugar e o momento adequados, e que se utilize as mãos para acariciar outras partes enquanto os beijos ardentes acontecem.

CONSELHOS DO KAMA-SUTRA PARA AS MORDIDAS
Em primeiro lugar deve-se considerar que são mordidas de amor e portanto não devem machucar. 
Segundo a tradição erótica da Índia, a mordida é um elemento muito importante e o Kama-Sutra dá uma boa lista de mordidas. 
As mordidas costumam ser dadas em quase todas as partes do corpo e vão desde a mordida brincalhona, mais provocativa do que erótica, até o forte apertão com os dentes que costuma ser dado no calor da paixão e faz com que os orgasmos sejam mais duradouros. No entanto, muitos costumam evitar este tipo de mordida porque é difícil de controlar e costuma deixar marcas muito evidentes. 

MORDIDA DE JAVALI
É uma mordida que deixa marcas e costuma ser feita no ombro do parceiro. Daí o nome "mordida de javali". Tome cuidado para não marcar lugares que normalmente ficam expostos e pode ser constrangedor para sua parceira. Muitas até gostam de exibir as pegadas do amor, mas tomar cuidado é preciso.

A NUVEM QUEBRADA 
O Kama-Sutra especifica que este tipo de mordida deve ser dado no peito. Consiste  em levantamentos desiguais da pele em círculo, produzidos pelos espaços que há entre os dentes.

MORDIDA ESCONDIDA
 É a mordida que deixa uma marca vermelha e deve ser dada no lábio inferior.

MORDIDA CLÁSSICA 
 
É quando se pega uma grande quantidade de pele com os dentes. 

A MORDIDA DO PONTO
 É quando se pega uma pequena quantidade de pele com os dentes deixando apenas uma marca como um ponto vermelho.

A MORDIDA DOS DOIS PONTOS 
É a mordida que deve ser dada na coxa. Uma pequena porção de pele é mordida com todos os dentes dianteiros e todos de forma que todos deixem sua marca. 

A MORDIDA DO CORAL E A JOIA 
É uma mordida resultante da junção dos dentes e dos lábios. Os lábios são o coral e os dentes são a joia. 

A LINHA DA JOIA 
 
É quando se dá uma mordida com todos os dentes. 
Para evitar futuros constrangimentos, deve-se sempre dar mordidas que marcam apenas em lugares que não ficam expostos. 
Nicéas Romeo Zanchett