Minha lista de blogs

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

IOGA DO SEXO - A ARTE MILENAR DA ÍNDIA


MAITHUNA - O IOGA DO SEXO 
A ARTE MILENAR DA ÍNDIA 
Por Nicéas Romeo Zanchett 
A Índia é um país que nos desperta fascínio, mistério e misticismo.
                     A história da Índia começa com Alexandre Magno, no ano 326 a.C. Entretanto, antes dele existiu ali uma civilização tri-milenar avançadíssima chamada de Proto-História que os especialistas vem pacientemente reconstruindo. 
                     A Índia moderna que conhecemos se divide em duas fases: a de dominação inglesa e a Índia independente que se iniciou em 1948, quando Nehru assumiu a presidência do país. 
Templo de Khajuraho
                     Em Elora estão algumas das grutas mais bonitas do mundo, transformadas  em colossais santuários. São 34 grutas, sendo 12 Budistas e 22 Bramânicas. Ali existe também um impressionante templo dedicado a Shiva. 
                      A Índia é um verdadeiro Museu de Arte Milenar. 
Templo de Ajanta 
                     Em Khajuraho se encontram os famosos templos com estátuas representando o amor sexual.  Porque foram construídos é um mistério que perdura ao longo dos séculos. Ainda hoje, nossa cultura ocidental não conseguiu entender a sexualidade ali representada em esculturas tão exóticas que a princípio eram vistas como pornográficas. Felizmente, na medida em que os mistérios vão sendo desvendados, vamos compreendendo e podemos finalmente perceber que a pornografia estava apenas nos olhos de quem as via. 
                    Apesar da destruição promovida pelos invasores, ainda hoje existem 22 templos dedicados ao amor. 
                    O Ioga sexual ou Maithuna  é um tema frequente nas esculturas Hindus. As figuras Maithuna não podem ser vistas como orgias rituais; na verdade, representam a eterna união do espírito com a natureza. A sexualidade é espiritualizada, onde homem e mulher se complementam. O amor sexual é uma forma de adoração, onde os parceiros representam, um para o outro, a reencarnação da divindade. Meditar sobre o assunto nos leva a perceber que somos seres em correlação e não em separação. O amor físico implica na verdadeira descoberta do parceiro. 
                      A união entre homem e mulher é o casamento entre o céu e a terra. A energia sexual do casal manifesta-se como energia espiritual com o poder divino de procriar. 
                      A semente unida à terra fecunda o campo, tal como o sêmen unido ao óvulo fecunda o ventre que produz o milagre de uma nova vida. 
Nicéas Romeo Zanchett 



Nenhum comentário:

Postar um comentário